Operação de Hedge de Proteção Cambial

Para uma Pessoa Física ou Jurídica proteger seus contratos da variação cambial é necessário que faça uma operação de hedge. Você sabe o que é hedge?

Os contratos sujeitos à variação da moeda estrangeira podem ser protegidos por operações de hedge e, portanto, não podem ser causa para reequilíbrio contratual.
Acórdão TCU nº 1431/2017 Plenário

Hedge é qualquer operação do mercado financeiro que visa proteção em função da variação de preço de um determinado ativo. Como exemplos temos: o mercado de opções e os mercados futuros. No mercado de opções temos as opções de compra - CALL e as opções de Venda - PUT. Nos mercados futuros temos várias commodities agrícolas (Boi, Soja, café, milho etc.) inclusive as financeiras como dólar, euro etc.

A boolsa de valores trabalha com o mercado futuro do dólar em 2 (duas) modalidades: dólar cheio e míni-dólar. 

Cada contrato futuro de dólar negociado no Mercado BM&F estabelece um acordo de compra e venda de US$ 50.000,00 (cinquenta mil dólares americanos). O preço de cada contrato é estabelecido no momento de sua negociação, porém o pagamento apenas ocorre em sua data de vencimento. A operação recomendada para trabalhar com quantidades menores de dólar, mais adequado à Pessoa Física, é o míni-dólar.

No Mercado BM&F, o investidor consegue negociar contratos futuros de dólar americano com vencimento no primeiro dia útil de todos os meses do ano – Janeiro (F), Fevereiro (G), Março (H), Abril (J), Maio (K), Junho (M), Julho (N), Agosto (Q), Setembro (U), Outubro (V), Novembro (X) e Dezembro (Z). A negociação deste derivativo ocorre das 9:00h às 18:00h. A cotação do contrato futuro de dólar é estabelecida em real brasileiro (R$/US$ 1.000,00) e seu código de negociação é formado pelo radical DOL, acrescido da letra referente ao mês de vencimento do contrato (F, G, H, J, K, M, N, Q, U, V, X e Z) e de dois números referentes ao ano de vencimento do mesmo. O lote padrão de negociação deste derivativo é composto por 5 contratos. Este contrato futuro não prevê a entrega física da moeda, apenas sua liquidação financeira.

Qual será o preço em reais brasileiros de US$ 50.000,00 em uma determinada data futura? Esta é a base de raciocínio de todas as transações de compra e venda de contratos futuros de Dólar Americano.

O objeto de negociação do Dólar Futuro é a taxa de câmbio de reais por dólar dos Estados Unidos, para entrega pronta, contratada nos termos da Resolução 1.690/90, do Conselho Monetário Nacional (CMN).

Alguns agentes econômicos estão expostos aos efeitos das variações cambiais em suas atividades. É o que ocorre com empresas em que uma alta ou queda brusca do dólar pode desestabilizar suas finanças. Para essas empresas, é possível reduzir esse risco por meio de estratégias de hedge, utilizando contratos futuros de taxa de câmbio.

Investidores também podem especular sobre a oscilação futura do dólar. Quem compra um contrato futuro de dólar aposta na valorização deste frente o real para lucrar com a venda ou liquidação deste contrato até sua data de vencimento. Do mesmo modo, quem vende um contrato futuro de dólar aposta na desvalorização deste frente o real para lucrar com a compra ou liquidação deste contrato até sua data de vencimento.

A liquidação do contrato futuro de Dólar é exclusivamente financeira, por meio de operação inversa à posição original, na data de vencimento do contrato. A posição do investidor é automaticamente zerada no dia do vencimento: investidor que estiver comprado será vendido e vice-versa.

O Dólar Futuro vence no primeiro dia útil do mês de vencimento do contrato (Janeiro, Fevereiro, Março, Abril, Maio, Junho, Julho, Agosto, Setembro, Outubro, Novembro e Dezembro).

O investidor também pode liquidar sua posição antes do dia de vencimento do contrato, bastando apenas negociar o mesmo contrato assumindo uma posição oposta à posição em aberto. A liquidação financeira termina com a apuração final dos ajustes diários.

Há incidência de cobrança de imposto de renda sobre todo ganho líquido na negociação ou liquidação de um contrato futuro de Dólar. A alíquota base de imposto de renda utilizada para o mercado de Dólar Futuro é de 15% sobre o lucro líquido da operação.

O imposto de renda em operações no mercado futuro é apurado sobre o resultado positivo da soma dos ajustes diários observados entre a data de abertura do contrato e a data de encerramento ou cessão da operação.

A apuração é realizada ao longo da vigência do contrato e não mensalmente. A responsabilidade de apuração e de pagamento de imposto de renda é do investidor contribuinte. O pagamento do imposto de renda deve ser realizado até o último dia útil do mês subsequente ao mês de apuração. A alíquota de imposto de renda incidente sobre operações daytrade no mercado de Dólar Futuro é de 20% sobre os ganhos auferidos.

Para se posicionar é exigido apenas uma margem o que permite que a empresa deixe um valor investido em renda fixa ou fundo de renda fixa de liquidez diária. 

No dia do vencimento, terá o direito de comprar os dólares ao preço da data que fez a operação (travou o preço). Todavia, até lá haverá ajustes diários na conta creditando lucro se o dBettas Cursosólar estiver mais caro ou debitando prejuízo se o dólar ficar mais barato.

Qualquer empresa ou pessoa física pode operar no mercado futuro com o Dolar cheio ou com o mini-dólar ou mini-índice ou Índice cheio do IBOVESPA.

Por exemplo, digamos que um jatinho custa 3 milhões e que 1,7 milhões seja material importado. Nesse exato momento, 15h39min30s de 30/07/2019, o 'dolar mini' (DOLU19) está sendo negociado na bolsa de valores por 3.789,000 o que significa 1 dólar igual a R$ 3,789. Então, R$ 1.700.000,00 custa US$ 448.667,19. Cada contrato de dólar cheio equivale a US$ 50.000,00 (cinquenta mil dólares). Se a empresa deseja se proteger da variação cambial, então ela vai lançar uma ordem de compra a mercado de 9 (nove) contratos de dólar futuro equivalentes a US$ 450.000,00 (quatrocentos e cinquenta mil dólares) ao preço de R$ 3,789/dólar. É como se estivesse comprando dólares. Depois a empresa lança uma ordem de venda desses mini-contratos e resgata seus dólares. 

A empresa não precisa ter R$ 1.700.000,00 na conta da corretora, mas se o dólar cair de preço deverá cobrir o valor da diferença diária, o tal ajuste diário que é feito nas negociações de mercado futuro na bolsa de valores. Entretanto, se o dólar subir, não terá que se preocupar com nada, pois o mercado estará creditando a diferença na conta. Enfim, todos os dias a bolsa estará colocando (se o dólar subir) ou tirando (se o dólar descer) dinheiro na sua conta conforme a variação cambial. É por isso que você tem que deixar uma determinada quantia na conta da corretora como garantia.

Igualmente se você estiver programando uma viagem para o exterior (Pessoa Física) e acha que o dólar vai subir, então compre mini dolar hoje para travar o preço. 

O melhor é procurar um assessor de investimentos financeiros. Recomendamos o Prof. George Chaves do Bettas Cursos.